logo
Direitos reservados Hedflow - 2018 ©
Hedflow | Os integrantes do Decapitated foram libertados da cadeia e irão a julgamento em janeiro
Cobertura de eventos, entrevistas, música, arte alternativa e cotidiano subversivo.
shows; entrevistas, resenhas; cobertura de eventos; festivais; assessoria de imprensa; fotos de shows; fotografia de evento; fotografia; produção de conteúdo; revisão de conteúdo; produção musical; música eletrônica; trilhas sonoras;
18774
post-template-default,single,single-post,postid-18774,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

Os integrantes do Decapitated foram libertados da cadeia e irão a julgamento em janeiro

Todos os quatro membros do Decapitated foram soltos da prisão e aguardam julgamento por acusações de sequestro e estupro. Cada integrante do grupo enfrenta acusações de graus variados para um incidente alegadamente ocorrido em seu ônibus de turnê, no dia 31 de agosto, em Spokane, Washington. O grupo foi acusado naquela noite de ter violado e estuprado coletivamente uma fã. Todos da banda continuam a negar as alegações até o momento.

O The Spokesman-Review reportou que a liberação da banda foi concedida sem que chegassem a pagar o valor de 100.000,00 dólares, definido previamente.

Como parte de sua liberação, eles foram ordenados pela juíza Julie McKay a permanecer no estado de Washington e a entregar seus passaportes. Além disso, a banda precisou também de assinar renúncias à extradição. Agora, caso sejam pegos tentando fugir para sua terra natal (Polônia), acabarão enviados imediatamente de volta à Spokane.

Também foi ordenado que os quatro não tenham contato entre si, sem que advogados estejam presentes. Curiosamente, o grupo recebeu um aval do político polonês Dominik Tarczynski. Tudo indica que ele ajudou na soltura da banda, mesmo que em caráter temporário.

O guitarrista Andy Marsh, do Thy Art is Murder (banda que também se apresentou no mesmo evento do ocorrido) deu testemunho de que viu a garota – a mesma que posteriomente acusou os quatro integrantes do Decapitated de abuso sexual – se jogando violentamente em mosh pits durante o show no início daquela noite. Ele disse: “Ela estava esmagando suas mãos e braços contra a barricada de metal que estava entre o público e o palco.” Escoriações que bateriam com o relatório inicial da polícia, incluindo hematomas significativos em seus braços e marcas nos ombros.

O julgamento da banda está marcado para ter início no dia 16 de janeiro.

Veja abaixo quais são acusações a que cada integrante do grupo responderá:

Vocalista – Rafal “Rasta” Piotrowski – sequestro em primeiro grau / estupro em segundo grau
Guitarrista – Waclaw Kieltyka – sequestro em primeiro grau / estupro em segundo grau
Baixista – Hubert Wiecek – sequestro em primeiro grau / estupro em terceiro grau
Baterista – Michal Lysejko – sequestro em primeiro grau / estupro em terceiro grau

-

O que acha disso?