logo
Direitos reservados Hedflow - 2018 ©
Hedflow | Mechanics apresenta seu ‘Fracasso’ após duas décadas de transgressão barulhenta
Cobertura de eventos, entrevistas, música, arte alternativa e cotidiano subversivo.
shows; entrevistas, resenhas; cobertura de eventos; festivais; assessoria de imprensa; fotos de shows; fotografia de evento; fotografia; produção de conteúdo; revisão de conteúdo; produção musical; música eletrônica; trilhas sonoras;
19159
post-template-default,single,single-post,postid-19159,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Mechanics apresenta seu ‘Fracasso’ após duas décadas de transgressão barulhenta

Lá se vão 20 anos de puro fracasso. Os malditos Mechanics, deuses da contra alquimia, lançam um novo trabalho no qual expõem essas duas décadas percorridas numa estrada de tropeços e lama. Depois de uma limitadíssima tiragem em vinil (apenas 30 cópias feitas de forma artesanal), o EP Fracasso chega às plataformas digitais e está pronto para se tornar mais um insucesso na história da banda.

Formado em Goiânia, o Mechanics prova que é possível ser criativo fazendo um som terrivelmente barulhento. Responsáveis por criar e expandir a cena goiana de rock independente, bebem direto nas facções mais transgressoras, alcoólicas e autorais da rockultura (Stooges/Melvins). Este cenário visceral ainda ganha a influência cósmico-filósofica de quadrinhos, artes visuais, cinema trash e do submundo da literatura marginal, sintetizando tudo num zeitgeist da cultura pop contemporânea.

O EP Fracasso foi gravado em 2014. Entre os dias 23 e 25 de outubro daquele ano, os Mechanics – então encarnados em Márcio Jr. (voz), Katú (guitarra), Little John (baixo) e Junão Cananéia (bateria) – partiram rumo a Pirenópolis, meca hippie-hipster do Estado de Goiás. Destino final: o estúdio Rocklab, do produtor Gustavo Vazquez (que já trabalhou com MQN, Macaco Bong, Diablo Motor, Rinoceronte, Canábicos e muitos outros). Ali, após anos sem realizar nenhum registro fonográfico, três faixas vieram à luz, nascidas de jams esboçadas em ensaios pregressos.

Fracasso e Vietnamérica, duas das três músicas gravadas, se transformam em matéria tangível: um compacto em tiragem limitadíssima que inaugurou (ou quase) a Lombra Records. 30 cópias, numeradas e assinadas. Capa em xilografia. Carimbos. Fanzine incluído. Gravura sonora. Áudio lo-fi – afinal, a lombra estava forte e a Lombra ainda tateava os sulcos sonoros que colocava no mundo. Não deu pra quem quis. Quem tem, tem.

Agora a Monstro Discos finalmente oferece ao mundo, em diferentes plataformas, todo o esplendor das sonoridades de Fracasso e Vietnamérica, registradas sob a batuta do mestre Gustavo Vazquez. Duas músicas disponibilizadas entre as milhões do mundo digital. Mais um fiasco para a banda. Afinal, sucesso é para os fracos.

fonte: monstro

Clique aqui para ouvir esse trampo massa!

-

Diz aí o que acha disso