logo
Direitos reservados Hedflow - 2017 ©
Hedflow | James Hetfield admite que não estava 100% na pilha quando fez os álbuns Load e Reload
Cobertura de eventos, entrevistas, música, arte alternativa e cotidiano subversivo.
shows; entrevistas, resenhas; cobertura de eventos; festivais; assessoria de imprensa; fotos de shows; fotografia de evento; fotografia; produção de conteúdo; revisão de conteúdo; produção musical; música eletrônica; trilhas sonoras;
18670
post-template-default,single,single-post,postid-18670,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive
 

James Hetfield admite que não estava 100% na pilha quando fez os álbuns Load e Reload

Os lançamentos dos álbuns Load e Reload do Metallica, em meados dos anos 90, continuam a ser assuntos controversos para os fãs da banda. Em uma entrevista recente, o vocalista/guitarrista James Hetfield admitiu que ele próprio não estava 100% na pilha para esses discos. Muitos criticaram o grupo na época por terem feito músicas bem mais comerciais e, ao mesmo tempo, por se adaptarem a uma imagem muito mais ‘limpa’.

Confira o que Hetfield falou a respeito disso:

 “Sempre deve haver algum tipo de compromisso, especialmente quando se tem quatro caras em uma banda. E dois de nós dirigimos as coisas – Lars e eu. Quando não concordamos, deve haver compromisso.

Mas, no que diz respeito a fazer algo que não parece certo, tenho certeza de que houve algumas vezes em que isso aconteceu. A era ‘Load’ e ‘Reload’, para mim, foi assim; do jeito que parecia. Eu não estava 100% na pilha. Mas, eu diria que foi um compromisso. Eu falei: “Eu vou pelo ponto de vista de Lars e Kirk nessa. Vocês são extremamente apaixonados por isso, então eu vou nessa, porque se os quatro de nós estivermos, será melhor.

Aí eu dei melhor que pude, e não foi tão bom quanto eu esperava. Porém, novamente, não há arrependimentos, porque no momento pareceu o certo a se fazer. Então, pensando que eu precise me comprometer um pouco para a integridade da banda avançar, eu faria isso. Já no que diz respeito ao mainstream, acho que fomos honestos e abertos sobre o que queremos e o que não queremos.

Sabe… Essa ‘festa’ é nossa! [Risos] Vocês estão convidados! Todos estão convidados! Sejam parte da aceitação disso e dessa aventura. Se começarem a levar algo para um lado mais pessoal e passarem a não gostar, podem pular fora a qualquer momento. Porque espero que sempre haverá alguém que desfrute desse entusiasmo sobre nossa criação, e sempre haverá um lugar para essa pessoa “.

 

Opine sobre esta notícia

O que achou disso?